quarta-feira, 27 de dezembro de 2006

(notícia) Sai no Jornal de Piracicaba

Abaixo o link do texto assinado por João Herrmann Neto deputado federal e ex-prefeito de Piracicaba.

"Qual academia?"

5 comentários:

bibi_japinha disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
bibi_japinha disse...

Bela análise da conjuntura, mas não faz a menor idéia do que se passa dentro dos muros da universidade. Pena.

Bruno disse...

Não sei se todos estão ainda acompanhando avidamente as notícias sobre nossa querida faculdade, mas hoje de manhã, no Jornal de Piracicaba e na EPTV, por volta da hora do almoço, foi veiculada a notícia mais ridícula que ouvi até o momento em toda essa crise.

Davi Barros, valendo-se da prerrogativa de que terá que arcar com os vencimentos dos professores readmitidos, lançou numa portaria (quarta-feira, 3 de Janeiro, se não me engano) onde ele deixa a forma de pagamento dos professores este mês:

Para os que recebem até R$ 1.500,00, ele pagará hoje. Para os que recebem mais que isso, se, SE, houver entrada de dinheiro suficiente devido às matrículas, ele pagará R$ 2.000,00 no dia 10 de Janeiro; porém, na entrevista na EPTV, ele disse, quanto ao pagamento dos outros professores (que seriam esses que ganham mais que R$ 2.000,00), que seria feito "só Deus sabe quando".

Queria ouvir o que o pessoal do DCE está pensando em fazer nesse momento, pois a briga está longe de ter terminado, e eu queria saber se existe já planejamento de movimentação ou se tudo ficará parado até o final do recesso imposto?

Grato pela atenção,
Bruno Cedin Mariano

PS: Aproveitando a notícia, também no Jornal de Piracicaba, hoje, na página de cartas, o Prof. Lineu decorreu sobre a carta do João Herrmann Neto, ressaltando os vínculos que o mesmo teve com a faculdade, desde sua formação. Recomendo que leiam o Jornal de Piracicaba de hoje na íntegra.

bibi_japinha disse...

Oi Bruno.
Sim, estamos acompanhando as recentes proezas do magnífico reitor.
Além das barbaridades com os salários do professores, ele está definitivamente assassinando os processos democráticos que ainda sobreviviam na política acadêmica da nossa instituição.
Como ele não conseguiu fazer passar as insanas mudanças do estatuto pela última reunião do Conselho Universitário (cancelou a reunão onde seria discutido e votado), acaba de soltar uma portaria, legitimando as alterações, "ad referendum" do CONSUN. E com o senadinho montadinho com pelegos, é bem provável que ele consiga aprovar suas idéias inconsequentes.
A propósito, as mudanças do estatuto basicamente tiram todos os poderes dos órgãos colegiados, extingue o CONSEPE, e dá plenos poderes a quem?? quem?? quem?? Ao Reitor, claro!!! Ah, e a partir de agora, Diretores não tem mais mandato, o reitor pode nomeá-los e exonerá-los quando bem entender. Dentre outros absurdos.

Quanto a sua pergunta, sobre o que pretende-se fazer quanto ao salário dos professores, infelizmente, não podemos fazer nada além de protestar e dar a eles nosso apoio. As atitudes legítimas quanto a isso, nesse momento, devem ser judiciais, e a representação cabe ao sindicato da categoria.
Nossa preocupação maior nesse momento é quanto ao Estatuto mesmo, usaremos de todas as ferramentas possíveis para vedar essas modificações, porque se elas passarem, nunca mais teremos uma Universidade justa e democrática. O Davi conseguirá definitivamente transformar a UNIMEP em uma empresinha, com uma linha de produção de um produto chamado "mão de obra barata".
E é por isso que essa tarefa não cabe apenas ao DCE, cabe a todos os estudantes, professores e membros da comunidade que não querem ver essa terrível transformação da nossa Universidade.
A partir da próxima segunda-feira estaremos todos de volta ao campus e às atividades anti-Davi. Contamos com a presença e a colaboração de todos os companheiros e amigos!!

Beijos a todos!!
BIA (JAPA)

E o grito continua: FORA DAVI!!!!

Ana Paula disse...

Realmente triste pensar que a Unimep - entenda-se Igreja Metodista tenha virado um balcao de negocios... E muitos professores competentes, qualificados e que sempre colaboraram para o desenvolvimento desta instituicao, tenham que ser humilhados de tal maneira. A luta nao para por aqui.
P.S Desculpem, mas meu teclado nao esta colocando acentos.