quinta-feira, 29 de março de 2007

Carta aberta aos assessores das faculdades e cursos da UNIMEP

MOVIMENTO ESTUDANTIL DA UNIVERSIDADE METODISTA DE PIRACICABA

O movimento estudantil da UNIMEP, representado por diferentes entidades (Centros Acadêmico, D.C.E, etc), e que conta com dezenas de moções de apoio das mais diferentes instituições, entidades, organizações não governamentais de todo o país, vem através desse documento tornar pública sua compreensão da crise institucional no que tange os assessores nomeados pelo reitor Davi Barros. Desde dezembro a universidade tem sofrido mais incisivamente uma ininterrupta série de ataques que interferem direto na nossa qualidade do ensino. Estamos diante de um alarmante quadro onde os assessores não têm poder de decisão sobre os cursos. ‘ A conivência nos causa enorme descontentamento. Acreditamos que nossos representantes devem ser legitimados através de processos eleitorais e democráticos organizados por cada faculdade e curso, com a participação assegurada de toda a comunidade acadêmica. A lógica da escolha de nossos coordenadores e diretores não pode, retrogradamente, inverter-se. Não acreditamos na capacidade administrativa da atual reitoria, jamais confiaríamos a ela os assuntos pertinentes as nossas áreas. Aceitar a nomeação sob status de cargo de confiança significa deslegitimar todo esse processo, pois é impossível estabelecer uma relação de confiança com a mesma. Nos causa desconforto observar que os que aceitam isso contribuem para transformar nossa estrutura exemplar em algo próximo a um colégio. Não nos representam os assessores nomeados através das medidas praticadas pelo reitor Davi Barros, as quais beiram o amadorismo. Acreditamos numa universidade democrática, onde os órgãos colegiados tenham, de fato, autonomia. Somos porta-vozes dessa universidade e a defendemos arduamente. Diante desse panorama, o Movimento Estudantil da Universidade Metodista de Piracicaba, esclarece sua compreensão a fim de contribuir com o pleno funcionamento de uma instituição democrática. Acreditamos que com nossas vitórias nas instâncias jurídicas esse problema poderá ser, em partes, sanado. Porém, deixamos claras as medidas dignas, que julgamos necessárias, e que devem ser consideradas. Exigimos a renúncia de todos os assessores nomeados pelo atual reitor, pois como dito anteriormente esse cargo ilegítimo não nos representa em nenhum assunto que nos é pertinente. Apoiaremos, irrestritamente, a nomeação dos eleitos em cada faculdade e curso, com plena participação da comunidade acadêmica. Não estamos cegos diante dos problemas administrativos e estruturais de gestões passadas, e nos firmamos enquanto protagonistas diretamente atingidos por eles. Esperamos compor efetivamente cada órgão colegiado auxiliando a superação da crise. Eis uma nova oportunidade de mudança, respaldada na atitude consciente de todos. Pelo desenvolvimento pleno da Universidade e pela qualidade de ensino. Convidamos a todos os assessores para uma reunião com o movimento estudantil na terça-feira (03/04/2007), às 19h no teatro de arena do campus Taquaral. Piracicaba, 29 de Março de 2007. Movimento Estudantil - UNIMEP

2 comentários:

mel_bundchen disse...

O mais triste é saber que as negociações estão de mal a pior, ou melhor, um "lenga-lenga" sem igual e, nisso tudo, um mês já se foi e outro começa sem aulas.
Enquanto na Unicamp o pessoal invade fisicamente a sala da reitoria, na Unimep os alunos acampam no prédio, como se fosse uma colônia de férias.
A Unimep é paga com muito sacrifício e, ao invés de se impostarem mais, os alunos declaram "férias antecipadas"?! Avaliamos, e muito, a "amizade" que PENSAMOS ter com os professores e vamos ter de pagar por isso MAIS uma vez.
A revolta não está somente contra o reitor, como também contra os professores e contra o DCE. Os universitários devem exigir mais ação desse diretório que se diz representante dos alunos - mesmo o movimento ter sido decidido uma semana antes de ir à assembléia dos alunos na Galeria do Campus Taquaral.
Estamos no meio de um impasse que será decidido somente depois da Páscoa - quem sabe? E o que está sendo feito para agilizar o processo? Onde está a pressão feita pelos alunos? Onde está a manifestação, a revolta? Está tudo passando em frente aos olhos e nada está sendo feito.
O clima é de férias, acomodação e, como disse - e já sentimos isso na pele por diversas vezes -, vamos pagar por tudo isso. A sensação que fica é que o unimepiano nunca deixou de ser um "bicho-burro", do começo ao fim.

Dezembrada disse...

olá mel,
assim como você compartilho desse incômodo quanto aos aluno da UNIMEP. Faço parte da diretoria do D.C.E e as vezes, infelizmente, sentimos que todas as ações que realizamos não tem respaldo na grande massa dos estudantes. Na terça-feira quando os alunos da UNICAMP ocuparam a reitoria nós estávamos junto deles, assim como em dezembro eles também estiveram aqui durante uma semana. Gostaríamos que o movimento estudantil conseguisse conquistar, através dos seus esforços, a massa dos estudantes para seu lado. Pois nossa bandeira não é outra, senão, a qualidade no nosso ensino. Precisamos da ajuda de pessoas como você, que não se sentam em suas poltronas, ligam seus televisores e acreditam viver numa normalidade. Precisamos de pessoas dispostas a lutar por um ideal de educação que hoje se encontra em processo de destruição. Precisamos de pessoas dispostas a lutar por um país mais justo, pela educação livre e de qualidade para todos e para isso, primeiro, precisamos lutar pela UNIMEP.